A carregar...
Loading...

quinta-feira, 10 de junho de 2010

comemoração do dia da DF


Lembrete de: budismosgi Yahoo! Grupo


Título: Fundacao da Divisao Feminina (1951)

Data: Quinta-feira 10/6
Hora: 8:00 AM - 8:00 AM
Repetições: Este evento se repete anualmente.

Receba lembretes no seu Yahoo! Messenger ou e-mail.
Editar as opções do lembrete



1. Divisão Feminina

São flores de lírios brancas e perfumadas que aqui se reuniram. São corações sublimes. Num elo de amizade.
Jossei Toda, segundo presidente da Soka Gakkai, dedicou este poema aos membros da DF no dia da fundação da Divisão, em 10 de junho de 1951. Naquela ocasião, ele reuniu 52 representantes e realizou a 1ª Conferência da Divisão Feminina. Ele também as enalteceu dizendo: "A mulher que abraça a Lei Mística deve estar convicta de que é digna do mais alto respeito." Desde então, a Divisão Feminina veio se expandindo no mundo inteiro e hoje pode ser considerada como uma importante organização de mulheres que atuam pela paz.
No Brasil, a história da Divisão Feminina teve início com a chegada dos primeiros grupos de imigrantes japoneses. Essas mulheres aqui se estabeleram com suas famílias em busca de trabalho e de melhores condições de vida.

A adaptação à vida na nova terra foi repleta de sofrimentos e dificuldades. Os imigrantes, membros da Soka Gakkai, iniciaram a propagação do Budismo de Nitiren Daishonin em solo brasileiro. Alguns deles já eram líderes na organização no Japão e aqui começaram a se reunir para recitar Daimoku e realizar reuniões de palestra.

Em sua primeira visita ao Brasil, em outubro de 1960, já empossado como terceiro presidente da Soka Gakkai, Daisaku Ikeda fundou o Distrito Brasil. As pessoas que participaram desse momento histórico eram recém-convertidas na prática budista. O sincero diálogo com o presidente Ikeda despertou nelas a missão de se empenharem como Bodhisattvas da Terra no Brasil. Face à dura realidade, as mulheres começaram a propagar o budismo na sociedade brasileira, iniciando com suas companheiras da colônia e vizinhas. As dificuldades que tinham para se expressar em português eram compensadas pela sua forte determinação e pela comprovação da grandiosidade do budismo em sua própria vida. Foi dessa forma que as primeiras brasileiras iniciaram a prática budista.

Em janeiro de 1965, Etsuko Saito, com 28 anos, foi nomeada como coordenadora da Divisão Feminina da América do Sul. Após algum tempo, fixou residência em São Paulo e se naturalizou brasileira, adotando o nome de Sílvia. Em 1966, vendo seu mestre ser perseguido em solo brasileiro, Sílvia determinou jamais ser derrotada e jurou transformar infalivelmente o Brasil em um "modelo do Kossen-rufu mundial", numa terra transbordante de felicidade. Sua paixão pelo Kossen-rufu e seu senso de missão associados à sua determinação de corresponder ao Mestre fizeram com que desafiasse as próprias circunstâncias e estruturasse a Divisão Feminina no Brasil. Por sua atuação é considerada como a "Mãe do Kossen-rufu da América do Sul".

Em 1984, Helena Taguchi assumiu a coordenação da DF da BSGI e deu continuidade à luta a fim para promover o desenvolvimento da Divisão com ênfase na criação de jovens valores humanos.




Divisão Feminina da BSGI

Fevereiro de 1993 – o presidente Ikeda visita O ano de 1993 ficou marcado eternamente na história da DF do Brasil. Por ocasião de sua quarta visita ao país o presidente Ikeda estabelece o "Dia da Divisão Feminina da BSGI" (27 de fevereiro).

Em 1994, a BSGI passou por uma grande reestruturação e Eduardo Taguchi assumiu como presidente. Na Divisão Feminina, Helena Taguchi é nomeada como coordenadora-geral e Marina Nakajima, coordenadora da Divisão Feminina. Seguindo os próprios passos de desenvolvimento da BSGI na sociedade brasileira, a Divisão Feminina renovou suas atividades com a formação de grupos e departamentos, como por exemplo o Comitê e a Aliança Feminina para a Paz, integrados respectivamente por ex-líderes da Divisão Feminina de Jovens da BSGI e por profissionais de diversas áreas. Promoveu também várias palestras e conferências, sendo que em uma delas contou-se com a presença da então primeira-dama Ruth Cardoso, que proferiu uma palestra no Auditório Presidente Ikeda.

Em 2000 uma nova mudança ocorre na estrutura da Divisão Feminina. Kiyoko Aguirre é nomeada como coordenadora e, pela primeira vez na história da BSGI, três mulheres fazem parte da presidência: Helena Taguchi como vice-presidente, Marina Nakajima e Dirce Ivamoto como vice-presidentes adjuntas.

Novas mudanças marcam o início de 2003. Jeni Ikeda é nomeada como coordenadora da Divisão Feminina da BSGI, iniciando uma nova etapa na história da DF.

Em sua mensagem de Ano-Novo, a coordenadora da Divisão Feminina da SGI, Eiko Akiyama, declarou: "Agora é nossa chance de desbravar o 'Século das Mulheres'! Conduzindo essa época, vamos nos empenhar em nossas atividades, expandindo nossa rede de justiça e felicidade, escrevendo uma história de triunfo." (Terceira Civilização, edição no 389, janeiro de 2001, pág. 13.) Cientes de seu importante papel no século XXI os membros da DF em cada canto do Brasil vêm se dedicando sempre embasadas na recitação do Daimoku com o sincero desejo de corresponder aos anseios do presidente Ikeda, que podem ser resumidos no seguinte trecho da Nova Revolução Humana: "A oração das mulheres e sua atuação arraigada na vida diária são a força motriz capaz de mudar as circunstâncias de uma época. A força das mulheres é como a força do solo. Quando o solo se move, tudo que existe sobre ele também se movimenta. Até mesmo a fortaleza do autoritarismo e a montanha que parecia inabalável ruirão. A força das mulheres é imensurável e não há nada que seja impossível para elas. Conto muito com a força da Divisão Feminina." (Brasil Seikyo, edição no 1.569, 26 de agosto de 2000, pág. 7.)pela quarta vez o Brasil.

Até a concretização desse grande sonho, os membros da Divisão Feminina vieram se dedicando incansalvelmente em todos os campos de atuação pela paz e prosperidade do seu país, tendo como base a recitação de um intenso e sincero Daimoku.

Todos esses esforços foram enaltecidos pelo presidente Ikeda, na ocasião de sua quarta visita ao país.

No magnífico Centro Cultural Campestre, as líderes da DF puderam desfrutar momentos inesquecíveis com o presidente Ikeda e, numa dessas ocasiões, de uma maneira informal solicitaram a ele que designasse um dia especial para a Divisão Feminina do Brasil, sugerindo uma data — 27 de fevereiro —, pois era o aniversário de sua esposa, Kaneko Ikeda.

Foi durante o jantar na Sala Hortências, onde se encontravam reunidas dezoito pessoas que o Mestre transmitiu a feliz notícia de que o Dia da DF da BSGI seria 27 de fevereiro, conforme era o desejo da Divisão.

No dia 5 de março, num jantar em comemoração da Convenção Sul-Americana, a data foi oficializada.

Dessa forma, a cada 27 de fevereiro, poderemos reconfirmar nossa decisão de sempre sermos merecedoras da confiança que o mestre deposita em cada uma de nós.

Um outro fato marcante dessa ocasião foi que em resposta a um oferecimento de um álbum confeccionado pelo Grupo Cosmos da DF, contendo 10 mil assinaturas, o Mestre homenageou todas as integrantes da Divisão com o seguinte poema:

São todas filhas do Buda, assim, todas são eternas “Rainhas da Felicidade”.


Principais Atividades Realizadas

• 27 de fevereiro:
* Convenção Sul-Americana — Prelúdio da 16a Convenção da SGI, sob a liderança do presidente Ikeda.
* Conferência Nipo-Sul-Americana realizada sob a liderança da coordenadora da Divisão Feminina da SGI, Eiko Akiyama. Esta conferência reuniu 26 líderes da DF de 9 países da América do Sul.
Durante sua estada no Brasil, o presidente Ikeda fundou os seguintes grupos:
* Grupo Renascença Soka (com 16 membros)
* Grupo Cosmos (plantio de flores)
* Grupo Taiyo (preparo de refeições)
Estes foram dias de intensa emoção, alegria e decisão que ficaram profundamente marcados na vida de cada membro da BSGI.

2 comentários:

  1. Quanto vale o seu sonho?
    Já estipulou um preço para cada um de seus desejos?
    Difícil não é?
    Claro que sim, porque não há dinheiro que possa pagar por um anseio, um desejo, um sonho, a não ser a realização deles.
    Comprometa-se com seus sonhos, seus ideais...descubra o quanto quer realiza cada um deles.
    Essa resposta fará de você senhor de si mesmo.

    Tenha um lindo dia!!!!!

    ResponderEliminar
  2. adorei seu blog,sou budista a 30 anos e nada como viver na familia soka, visite o meu tambem, www.vidanarte.blogspot.com lá tem o endereço dos outros,bjsssss

    ResponderEliminar